jusbrasil.com.br
24 de Maio de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Detalhes da Jurisprudência
Órgão Julgador
Segunda Câmara de Direito Público
Julgamento
7 de Agosto de 2018
Relator
Sérgio Roberto Baasch Luz
Documentos anexos
Inteiro TeorTJ-SC_AC_00111086720088240045_ad986.pdf
Inteiro TeorTJ-SC_AC_00111086720088240045_281c1.rtf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Inteiro Teor




ESTADO DE SANTA CATARINA

TRIBUNAL DE JUSTIÇA


ESTADO DE SANTA CATARINA

TRIBUNAL DE JUSTIÇA


Apelação Cível n. 0011108-67.2008.8.24.0045, de Palhoça

Relator: Desembargador Sérgio Roberto Baasch Luz

APELAÇÃO CÍVEL. EXECUÇÃO FISCAL. EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE. EXECUTADO REPRESENTADO POR CURADOR. EXCEÇÃO ACOLHIDA. CONDENAÇÃO DO VENCIDO NO PAGAMENTO DE HONORÁRIOS SUCUMBENCIAIS E ASSISTENCIAIS. DUPLA CONDENAÇÃO. IMPOSSIBILIDADE. INTELIGÊNCIA DO ART. 17, INC. I, DA LCE N. 155/1997. PRECEDENTES. RECURSO PROVIDO.

Consoante a regra do art. 17, inc. I, da Lei n. 155/97, "[...] é indevida a remuneração do defensor dativo pelos cofres públicos na hipótese de o beneficiário da assistência judiciária gratuita sagrar-se vencedor na demanda e a parte sucumbente tiver condições de arcar com a verba honorária sucumbencial" ( Apelação Cível n. 0054090-88.2006.8.24.0038, de Joinville, rel. Des. Francisco Oliveira Neto, Segunda Câmara de Direito Público, j. 15-5-2018).

Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação Cível n. 0011108-67.2008.8.24.0045, da comarca de Palhoça (3ª Vara Cível) em que é/são Apelante (s) Estado de Santa Catarina e Apelado (s) Nildo dos Reis.

A Segunda Câmara de Direito Público decidiu, por votação unânime, dar provimento ao recurso. Custas na forma da lei.

O julgamento, realizado nesta data, foi presidido pelo Excelentíssimo Senhor Desembargador Francisco Oliveira Neto, com voto, e dele participou o Excelentíssimo Senhor Desembargador João Henrique Blasi.

Florianópolis, 7 de agosto de 2018.

Desembargador Sérgio Roberto Baasch Luz

Relator


RELATÓRIO

Trata-se de recurso interposto pelo Estado de Santa Catarina contra a decisão que acolheu a exceção de pré-executividade oposta por Nildo dos Reis, para extinguir o crédito tributário somente em relação ao exercício de 2003, em razão da prescrição, e, ao final, condenou o Ente Público no pagamento de honorários sucumbenciais e também em favor do curador do especial.

A parte recorrente sustenta, em resumo, a impossibilidade de dupla cominação ao pagamento dos honorários sucumbenciais e dativos, consoante vedação legal trazida pelo art. 17, inc. I, da Lei Complementar Estadual n. 155/1997, a qual rege a matéria no âmbito do Estado de Santa Catarina, de modo que, no caso, somente a verba sucumbencial se mostra devida (fls. 140-145).

Contrarrazões às fls. 152-155.

Este é o relatório.


VOTO

Adianta-se, o recurso deve ser provido.

Para elucidar a questão, principio transcrevendo o que dispõe o art. 17, inc. I, da Lei n. 155/97: "não será devida a remuneração ao Advogado Assistente e Judiciário ou Defensor Dativo quando: I - o beneficiário da Assistência Judiciária for vencedor da causa e tiver o sucumbente condições financeira de cumprir a sentença quanto ao implemento dos honorários".

O eminente Desembargador Francisco Oliveira Neto, ao interpretar o preceptivo legal em questão, fixou: "como se vê, segundo a norma supracitada, é indevida a remuneração do defensor dativo pelos cofres públicos na hipótese de o beneficiário da assistência judiciária gratuita sagrar-se vencedor na demanda e a parte sucumbente tiver condições de arcar com a verba honorária sucumbencial" ( Apelação Cível n. 0054090-88.2006.8.24.0038, de Joinville, rel. Des. Francisco Oliveira Neto, Segunda Câmara de Direito Público, j. 15-5-2018).

Esta Corte de Justiça tem reafirmado que, nos termos do art. 17, inc. I, da Lei n. 155/97, é inadmissível a cumulação em honorários sucumbenciais e em honorários assistenciais. Confira-se:

ASSISTÊNCIA À SAÚDE. REALIZAÇÃO DE PROCEDIMENTO CIRÚRGICO. SENTENÇA DE PROCEDÊNCIA.

1) REEXAME NECESSÁRIO. CONDENAÇÃO INFERIOR A 60 SALÁRIOS MÍNIMOS (ART. 475, § 2º, CPC/1973). NÃO CONHECIMENTO.

2) APELO DO ESTADO. "[...] IMPOSSIBILIDADE DE CUMULAÇÃO DE HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS SUCUMBENCIAIS COM OS VALORES ATINENTES À REMUNERAÇÃO DO ADVOGADO ASSISTENTE JUDICIÁRIO. PARTE BENEFICIÁRIA DA ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA GRATUITA QUE SAGROU-SE VENCEDORA NA CAUSA. EXEGESE DO ART. 17, I, DA LEI COMPLEMENTAR ESTADUAL N. 155/1997. PRECEDENTES.

'" Não será devida a remuneração ao Advogado Assistente Judiciário ou Defensor Dativo quando [...] o beneficiário da Assistência Judiciária for vencedor da causa e tiver o sucumbente condições financeiras de cumprir a sentença quanto ao implemento dos honorários. "(art. 17, I, da Lei Complementar Estadual n. 155/97)" ( Apelação Cível n. 2011.042861-1, de São Domingos, rel. Des. Rubens Schulz, j. em 24/11/2014).

'RECURSO PROVIDO. [...]". ( AC n. 0002842-74.2010.8.24.0125, de Itapema, rel. Des. Carlos Adilson Silva, Primeira Câmara de Direito Público, j. 7-6-2016)

NÃO FIXAÇÃO DE HONORÁRIOS RECURSAIS. ENUNCIADO ADMINISTRATIVO 7, DO STJ. ( Apelação Cível n. 0014609-64.2011.8.24.0064, de São José, rel. Des. Paulo Henrique Moritz Martins da Silva, Primeira Câmara de Direito Público, j. 13-3-2018).

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM APELAÇÃO CÍVEL. OMISSÃO EM RELAÇÃO A CORREÇÃO MONETÁRIA E JUROS DE MORA SOBRE O VALOR A SER RESTITUÍDO PELA RÉ. AUSÊNCIA DE MANIFESTAÇÃO SOBRE A INVERSÃO DOS ONUS SUCUMBENCIAIS. VEDADA A CUMULAÇÃO COM OS HONORÁRIOS DO DEFENSOR DATIVO. EXEGESE DO ARTIGO 17, I, DA LC 155/97. OMISSÕES SANADAS. RECURSO CONHECIDO E PARCIALMENTE PROVIDO. ( Embargos de Declaração n. 0006734-84.2012.8.24.0039, de Lages, rel. Des. Saul Steil, Primeira Câmara de Direito Civil, j. 1º-12-2016).

Pelo exposto, dá-se provimento ao recurso, para que, da condenação promovida pelo Juiz de primeiro grau, seja extirpada a verba que remunerou o defensor dativo, remanescendo somente os honorários sucumbenciais.

Este é o voto.


Gabinete Desembargador Sérgio Roberto Baasch Luz


Disponível em: https://tj-sc.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/611624691/apelacao-civel-ac-111086720088240045-palhoca-0011108-6720088240045/inteiro-teor-611624744

Informações relacionadas

Tribunal de Justiça de Santa Catarina
Jurisprudênciahá 4 anos

Tribunal de Justiça de Santa Catarina TJ-SC - Apelação Cível: AC 0054090-88.2006.8.24.0038 Joinville 0054090-88.2006.8.24.0038

Tribunal de Justiça de Santa Catarina
Jurisprudênciahá 4 anos

Tribunal de Justiça de Santa Catarina TJ-SC - Apelação Cível: AC 0014609-64.2011.8.24.0064 São José 0014609-64.2011.8.24.0064

Tribunal de Justiça de Santa Catarina
Jurisprudênciahá 5 anos

Tribunal de Justiça de Santa Catarina TJ-SC - Embargos de Declaração: ED 0006734-84.2012.8.24.0039 Lages 0006734-84.2012.8.24.0039