jusbrasil.com.br
21 de Janeiro de 2022
2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Detalhes da Jurisprudência
Órgão Julgador
Quarta Câmara de Direito Público
Julgamento
4 de Fevereiro de 2021
Relator
Odson Cardoso Filho
Documentos anexos
Inteiro TeorTJ-SC_APL_03090746320188240023_35f66.rtf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Inteiro Teor











Apelação Nº 0309074-63.2018.8.24.0023/SC



RELATOR: Desembargador ODSON CARDOSO FILHO


APELANTE: NARDELE ROGERIO PEREIRA DE LIMA (AUTOR) APELADO: INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS (RÉU)


RELATÓRIO


Adoto o relatório do Evento 11 - Eproc 2º Grau, por ser exato e fiel ao conteúdo dos autos, e adiciono que, irresignado com a decisão monocrática que negou provimento ao recurso de apelação, o Instituto Nacional do Seguro Social interpôs agravo interno, nos termos do art. 1.021 do CPC, aduzindo, em síntese, que os honorários periciais devem ser suportados pela Fazenda Estadual (Evento 17 - Eproc 2º Grau).
Sem contrarrazões.
É o relatório.

VOTO


1. O recurso merece ser conhecido, pois satisfeitos os requisitos legais; quanto ao mérito, porém, há de ser desprovido.
2. Inicialmente, sobre o Tema n. 1.044, tem-se que o Superior Tribunal de Justiça afetou recursos especiais a fim de debater a "responsabilidade pelo custeio de honorários periciais, em ações acidentárias, de competência da Justiça Estadual, adiantados pelo INSS, nos casos em que a parte autora, beneficiária da gratuidade da justiça, é sucumbente".
Não obstante, a determinação de suspensão dos processos pendentes só alcança, segundo a determinação exarada pela Corte Superior, os recursos especiais e agravos em recurso especial na segunda instância ou que tramitem perante o próprio STJ. Desse modo, não há qualquer óbice para dar seguimento ao julgamento do agravo interno aviado pelo INSS, mormente em razão da remansosa orientação deste Sodalício.
Adiante, com espeque no art. , § 2º, da Lei n. 8.620/93, o embargante sustenta que os honorários periciais adiantados no curso da ação acidentária devem ser restituídos pelo ente estadual, dado que o autor foi sucumbente na demanda.
No entanto, é tranquilo o entendimento desta Corte de Justiça no sentido de que o segurado que litiga em ação de acidente do trabalho não é propriamente beneficiário de Justiça gratuita, mas sim conta com isenção legal das despesas processuais, consoante preconiza o art. 129, parágrafo único, da Lei n. 8.213/91, o que significa que está desobrigado do pagamento de quaisquer custas e verbas relativas à sucumbência, no que se incluem os honorários periciais, daí porque tampouco é viável invocar o art. 1º da Lei n. 1.060/50 para eximir-se das despesas processuais.
Trata-se da posição assente deste Sodalício:
AGRAVO INTERNO - AÇÃO ACIDENTÁRIA - IMPROCEDÊNCIA DO PEDIDO - ISENÇÃO LEGAL DO SEGURADO - HONORÁRIOS PERICIAIS A CARGO DO INSS - REGIME DISTINTO DA JUSTIÇA GRATUITA.
Em ações acidentárias, o segurado se presume hipossuficiente, tanto por isso é isento de custas e despesas processuais, bem como de honorários advocatícios ou periciais. Diante de regra expressa em lei federal, o INSS fica realmente obrigado a adiantar o pagamento dos honorários periciais, não sendo possível submeter o Estado de Santa Catarina ao ressarcimento da verba.
O caso não é de gratuidade da justiça - um favor a ser deferido caso a caso em prol de necessitado. Na tal situação, o beneficiário, se sucumbente, é até condenado ao pagamento dos ônus processuais, ainda que haja suspensão condicional da exigibilidade.
Nas ações acidentárias, diversamente, o regime é de absoluta exclusão dos encargos, tocando os honorários periciais por norma especial (que prepondera ante o CPC) ao INSS (sem nenhuma previsão de ressarcimento).
Inviabilidade de transmitir um custo que é só e sempre de autarquia federal para o Estado de Santa Catarina.
Recurso desprovido. (TJSC, Agravo Interno n. 0301403-42.2018.8.24.0070, de Taió, rel. Des. Hélio do Valle Pereira, Quinta Câmara de Direito Público, j. 5-12-2019)
Nesse passo, embora alegue ter exclusivamente "antecipado" a verba honorária, é a autarquia previdenciária que deve assumir com os valores devidos ao perito oficial, sendo descabida a restituição almejada.
Conforme registrado no veredito unipessoal, esse posicionamento foi sedimentado pelo Grupo de Câmaras de Direito Público deste Tribunal no Enunciado n. 5, segundo o qual
julgado improcedente o pedido do autor em ações acidentárias movidas em desfavor do INSS, não responde o Estado de Santa Catarina pelo ressarcimento de honorários periciais adiantados pela autarquia, nos termos do art. 8º, § 2º da Lei n. 8.620/93, ou de quaisquer outras verbas decorrentes do processo, pois o autor (segurado) litiga sob a isenção de que trata o art. 129, parágrafo único, da Lei n. 8.213/91, que não se confunde com as regras da assistência judiciária gratuita ou da gratuidade da justiça.
E a orientação desta Câmara é uníssona:
AGRAVO INTERNO (ART. 1021 DO CPC/2015). DEMANDA ACIDENTÁRIA JULGADA IMPROCEDENTE. PLEITO DE DEVOLUÇÃO DOS HONORÁRIOS PERICIAIS. IMPOSSIBILIDADE. SEGURADO ISENTO DE QUAISQUER CUSTAS E DE VERBAS RELATIVAS À SUCUMBÊNCIA (ART. 129, § ÚNICO, DA LEI N. 8.213/91). ENUNCIADO V DO GRUPO DE CÂMARAS DE DIREITO PÚBLICO DESTA CORTE. (TJSC, Agravo Interno n. 0300493-64.2018.8.24.0086, de Otacílio Costa, rela. Desa. Sônia Maria Schmitz, Quarta Câmara de Direito Público, j. 5-3-2020)
Também:
AGRAVO INTERNO. INSURGÊNCIA MANIFESTADA CONTRA DECISÃO MONOCRÁTICA QUE NEGOU PROVIMENTO AO APELO INTERPOSTO PELO INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL (INSS). AÇÃO ACIDENTÁRIA JULGADA IMPROCEDENTE. PRETENSÃO DE DEVOLUÇÃO DOS HONORÁRIOS PERICIAIS ADIANTADOS PELA AUTARQUIA NA DEMANDA. AFASTAMENTO. SEGURADO ISENTO DE QUAISQUER CUSTAS E VERBAS DE SUCUMBÊNCIA. ART. 129, PARÁGRAFO ÚNICO, DA LEI N. 8.213/91. IMPOSSIBILIDADE DE IMPUTAR AO ESTADO DE SANTA CATARINA A RESPONSABILIDADE PELA DEVOLUÇÃO DO VALOR DOS HONORÁRIOS PERICIAIS. ENTE ESTADUAL QUE SEQUER FIGURA NA AÇÃO ACIDENTÁRIA. JURISPRUDÊNCIA PACÍFICA DESTE TRIBUNAL DE JUSTIÇA.RECURSO CONHECIDO E DESPROVIDO. (TJSC, Agravo Interno n. 0309885-38.2018.8.24.0018, de Chapecó, rela. Desa. Vera Lúcia Ferreira Copetti, Quarta Câmara de Direito Público, j. 5-12-2019)
Por fim:
AGRAVO INTERNO EM AGRAVO DE INSTRUMENTO (ART. 557, § 1º, CPC/1973). INTERPOSIÇÃO CONTRA DECISÃO QUE DENEGOU PROVIMENTO AO RECURSO. PLEITO DE CONCESSÃO DE BENEFÍCIO ACIDENTÁRIO JULGADO IMPROCEDENTE. HONORÁRIOS PERICIAIS. AGRAVADO ISENTO DE CUSTAS E VERBAS SUCUMBENCIAIS. EXEGESE DO ART. 129, PARÁGRAFO ÚNICO, DA LEI N. 8.213/91. IMPUTAÇÃO DO PAGAMENTO AO ESTADO. INVIABILIDADE. ENTE PÚBLICO QUE SEQUER FEZ PARTE DO PROCESSO DE CONHECIMENTO. DESPESA DE RESPONSABILIDADE DO INSS. APLICABILIDADE DO ENUNCIADO N. V DO GRUPO DE CÂMARAS DE DIREITO PÚBLICO. COISA JULGADA. AUSÊNCIA DE VIOLAÇÃO. DECISUM MONOCRÁTICO EM SINTONIA COM A JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DESTE SODALÍCIO. RECURSO CONHECIDO E DESPROVIDO. (TJSC, Agravo Interno n. 0150140-18.2014.8.24.0000, de Orleans, rel. Des. Paulo Ricardo Bruschi, Quarta Câmara de Direito Público, j. 28-2-2019)
Finalmente, a tese de ausência de rubrica orçamentária voltada ao custeio de encargos periciais não sobrepuja a obrigação de remunerar o especialista que oficiou nos autos, eis que tal dever dimana diretamente de inafastável preceito legal, consoante extensamente debatido.
3. No tocante ao pedido de prequestionamento, este mostra-se impróprio e inadequado, dado que todas as questões relacionadas ao objeto da irresignação mereceram análise e deliberação, fundadas na motivação acima deduzida.
4. Ante o exposto, voto no sentido de conhecer do recurso e negar-lhe provimento.

Documento eletrônico assinado por ODSON CARDOSO FILHO, Desembargador, na forma do artigo , inciso III, da Lei 11.419, de 19 de dezembro de 2006. A conferência da autenticidade do documento está disponível no endereço eletrônico https://eproc2g.tjsc.jus.br/eproc/verifica.php, mediante o preenchimento do código verificador 294271v15 e do código CRC 4f647ae3.Informações adicionais da assinatura:Signatário (a): ODSON CARDOSO FILHOData e Hora: 22/2/2021, às 14:43:34
















Apelação Nº 0309074-63.2018.8.24.0023/SC



RELATOR: Desembargador ODSON CARDOSO FILHO


APELANTE: NARDELE ROGERIO PEREIRA DE LIMA (AUTOR) APELADO: INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS (RÉU)


EMENTA


AGRAVO INTERNO (ART. 1.021 DO CPC) EM APELAÇÃO CÍVEL. INSURGÊNCIA CONTRA DECISÃO UNIPESSOAL QUE IMPÔS AO INSS O ÔNUS DE CUSTEAR OS HONORÁRIOS PERICIAIS, INOBSTANTE A IMPROCEDÊNCIA DA DEMANDA. INCIDÊNCIA DO ENUNCIADO N. 5 DO GRUPO DE CÂMARAS DE DIREITO PÚBLICO DESTE TRIBUNAL. SEGURADO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL QUE, NAS AÇÕES DE NATUREZA ACIDENTÁRIA, ESTÁ ISENTO DO PAGAMENTO DE CUSTAS E VERBAS DE SUCUMBÊNCIA. JURISPRUDÊNCIA DESTA CORTE.
RECURSO CONHECIDO E DESPROVIDO.

ACÓRDÃO


Vistos e relatados estes autos em que são partes as acima indicadas, a Egrégia 4ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça do Estado de Santa Catarina decidiu, por unanimidade, conhecer do recurso e negar-lhe provimento, nos termos do relatório, votos e notas de julgamento que ficam fazendo parte integrante do presente julgado.

Florianópolis, 04 de fevereiro de 2021.

Documento eletrônico assinado por ODSON CARDOSO FILHO, Desembargador, na forma do artigo , inciso III, da Lei 11.419, de 19 de dezembro de 2006. A conferência da autenticidade do documento está disponível no endereço eletrônico https://eproc2g.tjsc.jus.br/eproc/verifica.php, mediante o preenchimento do código verificador 294272v15 e do código CRC 89d92901.Informações adicionais da assinatura:Signatário (a): ODSON CARDOSO FILHOData e Hora: 22/2/2021, às 14:43:34














EXTRATO DE ATA DA SESSÃO Ordinária DE 04/02/2021

Apelação Nº 0309074-63.2018.8.24.0023/SC

INCIDENTE: AGRAVO INTERNO

RELATOR: Desembargador ODSON CARDOSO FILHO

PRESIDENTE: Desembargador ODSON CARDOSO FILHO

PROCURADOR (A): PAULO RICARDO DA SILVA
APELANTE: NARDELE ROGERIO PEREIRA DE LIMA (AUTOR) ADVOGADO: GUSTAVO DE LARA POSICH (OAB SC040740) APELADO: INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS (RÉU) MP: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SANTA CATARINA
Certifico que este processo foi incluído na Pauta da Sessão Ordinária do dia 04/02/2021, na sequência 32, disponibilizada no DJe de 14/12/2020.
Certifico que o (a) 4ª Câmara de Direito Público, ao apreciar os autos do processo em epígrafe, proferiu a seguinte decisão:A 4ª CÂMARA DE DIREITO PÚBLICO DECIDIU, POR UNANIMIDADE, CONHECER DO RECURSO E NEGAR-LHE PROVIMENTO.

RELATOR DO ACÓRDÃO: Desembargador ODSON CARDOSO FILHO
Votante: Desembargador ODSON CARDOSO FILHOVotante: Desembargadora VERA LÚCIA FERREIRA COPETTIVotante: Desembargadora BETTINA MARIA MARESCH DE MOURA
CLODOMIR GHIZONISecretário
Disponível em: https://tj-sc.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/1206105419/apelacao-apl-3090746320188240023-tribunal-de-justica-de-santa-catarina-0309074-6320188240023/inteiro-teor-1206108222

Informações relacionadas

Tribunal de Justiça de Santa Catarina
Jurisprudênciahá 3 anos

Tribunal de Justiça de Santa Catarina TJ-SC - Agravo Interno : AGT 0150140-18.2014.8.24.0000 Orleans 0150140-18.2014.8.24.0000

Tribunal de Justiça de Santa Catarina
Jurisprudênciahá 2 anos

Tribunal de Justiça de Santa Catarina TJ-SC - Agravo Interno : AGT 0309885-38.2018.8.24.0018 Chapecó 0309885-38.2018.8.24.0018

Tribunal de Justiça de Santa Catarina
Jurisprudênciahá 2 anos

Tribunal de Justiça de Santa Catarina TJ-SC - Agravo Interno : AGT 0300493-64.2018.8.24.0086 Otacílio Costa 0300493-64.2018.8.24.0086