jusbrasil.com.br
28 de Maio de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal de Justiça de Santa Catarina TJ-SC - Recurso Criminal: RCCR 20100346581 Abelardo Luz 2010.034658-1

Detalhes da Jurisprudência
Processo
RCCR 20100346581 Abelardo Luz 2010.034658-1
Órgão Julgador
Primeira Câmara Criminal
Julgamento
27 de Julho de 2010
Relator
Rui Fortes
Documentos anexos
Inteiro TeorTJ-SC_RCCR_20100346581_8b06e.rtf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. HOMICÍDIO QUALIFICADO E PORTE ILEGAL DE ARMA DE FOGO. PRETENSA ABSOLVIÇÃO SUMÁRIA PELA LEGÍTIMA DEFESA. AUSÊNCIA DE PROVA INEQUÍVOCA DA EXCLUDENTE DE ILICITUDE. DÚVIDA ACERCA DA INTENÇÃO SUBJETIVA DO AGENTE (ANIMUS NECANDI).

Como é cediço, para se assentar a absolvição sumária na fase do juízo de admissibilidade da acusação, é imprescindível que a excludente, seja de antijuridicidade (v.g. legítima defesa) ou de culpabilidade, esteja plenamente comprovada nos autos. AFASTAMENTO DA QUALIFICADORA DO EMPREGO DE RECURSO QUE DIFICULTOU OU IMPOSSIBILITOU A DEFESA DA VÍTIMA. IMPOSSIBILIDADE. PRINCÍPIO IN DUBIO PRO SOCIETATE. QUESTÃO A SER DIRIMIDA PELO TRIBUNAL DO JÚRI. DECISÃO DE PRONÚNCIA MANTIDA. RECURSO DESPROVIDO. Na fase da pronúncia, as qualificadoras somente devem ser excluídas quando manifestamente improcedentes, sem nenhum indício nos autos acerca da sua caracterização, pois, em relação a elas, também vigora o princípio in dubio pro societate.
Disponível em: https://tj-sc.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/1103149306/recurso-criminal-rccr-20100346581-abelardo-luz-2010034658-1

Informações relacionadas

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 17 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - HABEAS CORPUS: HC 25858 RS 2002/0167113-9

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 14 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - HABEAS CORPUS: HC 99194 PE 2008/0015421-0